domingo, 24 de novembro de 2013

De mulher para mulher: A Amamentação

Há um ano atrás nunca iria imaginar estar a fazer um post destes no meu blog. Primeiro, e antes de tudo, decidi abordar algumas questões da maternidade por pedido de algumas seguidoras, e acho que a partilha de experiências é sempre extremamente útil.

Pois como estava a dizer, há um ano atrás não imaginava escrever sobre maternidade e muito menos sobre a amamentação. Hoje não tenho vergonha de admitir que não estava nos meus planos amamentar, já tive muita vergonha por medo de ser julgada, agora simplesmente acho que devo partilhar o porquê pois isso poderá sempre ajudar alguém.

Amamentar é um acto natural, sim é verdade, é um acto milenar e que há alguns anos atrás (não no tempo das nossas mães mas bem antes) nem sequer era posto em causa. Mas então o que mudou no mundo para que a amamentação passasse de algo tão natural a uma escolha? Para mim foi algo tão simples como a economia, em duas perspectivas, primeiro a industria que criou os leites artificiais/suplementos e o negócio que se tornou e depois o poder de compra (sendo que este último hoje em dia não é tão elevado). Também podemos falar da emancipação feminina e do impacto disso no papel de mãe, mas é um tópico tão complexo que prefiro não abordar.

Para mim, amamentar não é muito fácil, no inicio porque dói, porque custa quando o bebé não pega, tem alturas que é desesperante, ao nível da alimentação há que ter cuidado, e depois pela rotina de amamentação que infelizmente o pai não consegue partilhar, tornando-se muito cansativo não conseguir ter mais do que 3horas de sono seguido. É fácil desistir, afinal é tão mais fácil desistir e juntar um pózito com água, aquecer e alimentar a criança, hoje é a mãe, amanhã é o pai, sair de casa por um período mais prolongado é mais fácil ... sim ... desistir é fácil e tentador. Então porque o fazemos? Vamos lá admitir que o leite materno não é algo artificial, o leite materno é algo à medida para o nosso bebé e que o vai alimentar e proteger. O suplemento é caro e nem sempre é fácil encontrar o certo para o nosso bebé, pode correr bem e o bebé não fazer alergia ou reacção ou pode correr mal e estarmos a mudar entre as mil e uma marcas disponíveis até encontrar um que seja tolerado. Por isso, podemos pensar que desistir é fácil, mas o outro lado também tem as suas dificuldades. 

É importante ver que também há vantagens em amamentar, sendo algumas delas:

1. para a mãe a recuperação do pós parto é mais rápida
2. a criança vai ser alimentada à sua medida
3. o leite materno protege o bebé pelos anti-corpos que a mãe passa para o filho
4. a questão financeira pelo facto dos leites artificiais serem tão caros

Depois deste testamento o que pretendo transmitir é o seguinte ... 
  • se nunca quiseste amamentar pensa de novo no assunto nos prós, nos contras e em tudo aquilo que te fez tomar essa decisão. Se continuas a não querer amamentar não tenhas vergonha em admitir, tens os teus motivos e as outras pessoas não deverão julgar ou questionar, infelizmente em tudo há sempre quem se julgue dono da razão e não respeite opiniões divergentes.
  • se sempre quiseste amamentar, então vive um dia de cada vez, pensa assim: hoje consegui, hoje consegui, hoje consegui e não faças planos para 2 meses, 3 meses ou o que for. Se chegares a um ponto em que queres mas não consegues seja por que motivo for, bola para a frente não desanimes não deixes que isso afecte o teu papel de mãe, a ligação que falam da mãe amamentar o seu filho vai sempre existir e não importa que seja por alimentar do seu seio ou do biberão que tem na mão, a ligação vai sempre estar lá.
  • Se optares por amamentar vais sempre passar pela fase do medo de não conseguir, não deixes que isso te consuma, não te tornes obcecada, lembra-te é um dia de cada vez.
  • Quando começas a amamentar o medo de não conseguir não desaparece, vamos estar sempre com o coração nas mãos, mas o melhor é não pensar nisso e não pensar se vai ou não haver um dia em que já não vamos conseguir amamentar, essa questão psicológica pode agir contra nós. 
Esquemas de amamentação: há várias correntes, hoje em dia há cursos de preparação onde se ensinam dicas. Eu fiz a minha preparação no DBarriga e a Joana, que é a dona do DBarriga, é conselheira de amamentação e dá apoio non-stop após o parto. No meu caso tive de recorrer à ajuda dela quando voltei no hospital pois o stress de pensar que estava algo errado comigo criou uma barreira entre mim e a Mafalda que complicou a amamentação. A conselheira ajudou-me muito e ultrapassamos a barreira.
No DBarriga ensinam um esquema muito interessante que é diferente da corrente seguida pela maioria dos hospitais e centros de saúde, mas é como ela diz, por ser diferente não quer dizer que outros esquemas não sejam válidos. Aquilo que eu acrescento a isto é, com o passar do tempo cada mãe e filho vai criar uma rotina própria, uma forma de fazer as coisas que pode ser diferente mas que funciona para ambos.

Já me alonguei, espero que a minha experiência e bla bla bla ajude alguém ... amamentar é hoje uma decisão da mulher, embora seja um acto natural, na nossa sociedade ocidental tornou-se algo que a mulher quer controlar e decidir. Há agora uma preocupação em recuperar a essência da coisa, há agora muita informação e educação sobre o assunto. Eu hoje, ao contrario do que pensava há um ano atrás, estou a amementar, está a ser uma experiência positiva, e estou a lutar todos os dias para conseguir viver um dia de cada vez.

Partilhem por cá os vossos pensamentos, medos e opiniões...

Sem comentários:

Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Creative Commons License
Blog True Undertone by Anita Pequena is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Unported License.
Permissions beyond the scope of this license may be available at the About Section.